Mês: novembro 2017

O que é envelhecimento saudável?

Todo mundo fica mais velho, isso é um fato. Porém, muitos vêm o processo de envelhecimento, também chamado de senescência como algo distante. Existem jovens que pensam que não envelhecerão e que isso é algo muito longe de sua realidade atual.

A questão é que o envelhecimento é um processo natural, o qual todos passamos desde que nascemos. A cada dia envelhecemos um pouco mais, porém, nem sempre isso fica tão claro.

Para a Organização Mundial da Saúde (OMS) é considerada uma pessoa idosa, erradamente chamada de velha, quem possua mais de 60 anos. Por conta dessa definição dada a terceira idade, acabou se criando alguns pensamentos errados e que não condizem com a realidade.

A visão que a sociedade tem da terceira idade

Pense em alguém com mais de 60 anos, qual imagem lhe vem à cabeça? É bem provável que tenha imaginado um senhor ou uma senhora com a pele toda enrugada, com a bengala e bem debilitado. Por muitos anos realmente essa foi a imagem que se teve e a realidade de muitas pessoas que chegavam a velhice.

Mas, você consegue imaginar uma pessoa com mais de 60 anos sendo musa fitness? Ou então posando para fotos sensuais? Ou quem sabe trabalhando e carregando peso? Se essas situações lhe parecem estranhas, saiba que hoje são uma verdade.

A sociedade é resistente em mudar a imagem que criou da velhice e insiste em fazer parecer que pessoas com mais de 60 anos sempre serão debilitadas e inativas. Para a maior parte das pessoas elas são aposentadas que ficam em casa, cuidando dos netos e precisam de cuidados especiais.

Porém, poucos se lembram que hoje essas pessoas ajudam no sustento das casas e muitas vezes se mantêm ativos no mercado de trabalho. Para eles a tecnologia também pode ser uma aliada e a terceira idade está presente nas redes sociais e não se intimida com um computador ou smartphone.

É preciso que essa visão ultrapassada seja abandonada para que se possa ver a atual terceira idade da maneira como ela realmente é.

O envelhecimento não é sinal de inutilidade

Mas, então o que muda com o envelhecimento? O envelhecimento deve ser considerado de acordo com as condições físicas de uma pessoa do que com a sua idade. É possível ver pessoas com 70 anos que se mantêm ativas e não tem problemas de saúde. Em contrapartida, existem os jovens sedentários e que desde cedo apresentam sérios problemas.

Envelhecer não é sinônimo de ser inútil, mas sim de ter mais conhecimento para compartilhar!

A pessoa pode muito bem continuar a ter sua autonomia manter-se ativo no mercado do trabalho e ainda cuidar da família.

Quanto maior for o cuidado com o corpo e a mente mais tempo o processo de envelhecimento será adiado. Isso porque envelhecer não é uma questão de idade, mas, de saúde e mentalidade. E para retardar esse processo é possível adotar diversas rotinas:

  • Ter um grupo de convívio que inclui não apenas familiares
  • Praticar atividades físicas que respeitem as limitações do corpo
  • Realizar atividades culturais e de lazer que proporcionem novas experiências e aprendizado
  • Ter o acompanhamento médico
  • Viver em um local que possibilite acesso ao bem-estar, assim como o SBA Residencial faz com os seus moradores.

Essa é uma maneira de demonstrar que eles apenas são pessoas com uma idade cronológica mais avançada, mas, que mantêm todas as suas habilidades.

É claro, que existem casos em que a pessoa pode estar com limitações e debilitada, pois, em algum momento o corpo dá sinais de desgaste. Entretanto, essa não deve ser uma visão generalizada.

Para ajudar a mudar essa imagem negativa, o SBA Residencial contribui de forma positiva. Além de oferecer um excelente espaço para que a terceira idade possa viver bem e ter qualidade de vida, promove a conscientização sobre a velhice.

Quer conhecer um pouco mais de um espaço que se destina a pessoas maduras e que também podem ser jovens mentalmente? Visite o site do SBA Residencial e saiba mais.

Baixe o e-book Envelhecimento Saudável e saiba mais!

Direitos do Idoso e o Estatuto do Idoso

Após passar anos contribuindo com a sociedade, muitas vezes a pessoa mais velha acaba esquecida e desrespeitada. Para evitar esse tipo de problema e até mesmo descriminação, foi criado o Estatuto do Idoso que assegura uma série de direitos a esse grupo.

Porém, se houvesse respeito não seria necessário haver uma lei para regulamentar algumas situações. Seja na rua ou em casa, a terceira idade sempre merece atenção e cuidados e isso é o que a SBA Residencial visa proporcionar para os seus moradores.

A questão é que o Estatuto de idoso permite que de certa forma a terceira idade seja beneficiada e tenha as suas limitações respeitadas. Veja alguns direitos garantidos.

Transporte coletivo

As pessoas com mais de 65 anos podem andar de graça no transporte coletivo, existindo algumas regras para isso. Ingressar nos ônibus municipais, por exemplo, é liberado e basta apresentar um documento para comprovar essa gratuidade. Algumas cidades adotam em conjunto outros métodos, como cartões gratuitos. Além disso, 10% dos assentos devem ser destinados a terceira idade e identificados.

Já no transporte interestadual, a pessoa na terceira idade com renda inferior a dois salários-mínimos podem andar de graça desde que respeitada a ocupação de 2 poltronas por ônibus. Se esse limite for ultrapassado existe um desconto de 50% sobre o valor.

Cultura e lazer

A terceira idade tem o direito de se divertir e ainda garantir um desconto de 50% nas atividades culturais e esportivas. Para usar o benefício é preciso apenas apresentar um documento de identificação.

Abandono e violência

Quem está na terceira idade não pode sofrer maus tratos ou ser abandonado por seus familiares, sem que receba assistência. Além disso, também não pode ser excluída de realizar suas atividades ou ficar afastada do convívio social.

Para garantir esses direitos, quando a família não tem condições de cuidar de forma adéqua da pessoa, pode optar por uma residência da terceira idade. Outra situação que esse tipo de moradia é válida é quando a própria pessoa prefere ficar em um local que receba cuidados, tenha um convívio social e atividades direcionadas.

A escolha do local é de suma importância para que ela não sofra maus tratos e o SBA Residencial tem uma equipe preparada para garantir esses direitos.

Mesmo, assim, a visita da família e amigos é recomendada e bem-vinda, afinal, quem está na terceira idade gosta de receber pessoas nas suas casas. 

Saúde

No Sistema único de Saúde (SUS), a terceira idade têm preferência na hora do atendimento, devendo receber atendimento prioritário. Além disso, eles possuem direito a medicação gratuita para o tratamento de determinadas doenças, como a pressão alta.

Os maiores de 60 anos podem utilizar as farmácias populares, encontrando nelas alguns medicamentos e itens de cuidado gratuitos ou com desconto.

Já em relação aos planos de saúde, não é permitido reajuste de valores pela faixa etária. A última faixa existente é para pessoas com mais de 59 anos, sendo que o único aumento que pode ocorrer é o reajuste anual.

Finanças

O idoso que não tem condições financeiras recebe amparo do governo. Quem nunca trabalhou, possui mais de 65 anos e renda per capita menor que 1/4 do salário-mínimo vigente possui direito ao BPC (Benefício de Prestação Continuada). Ele garante uma remuneração de 1 salário-mínimo mensal.

Outra situação é que quando o idoso não tem condições financeiras de se manter, ele pode solicitar pensão alimentícia para seus descendentes.

Entretanto, quando há uso indevido das finanças e bens do idoso pode haver penalização. Essa penalidade pode ser de 1 a 4 anos de detenção e multa.

Moradia

Outro direito do idoso é a moradia, nesse caso eles possuem cotas de participação nos programas sociais de habitação ou que são realizados com recursos públicos. Pelo menos 3% das ofertas devem ser destinadas a terceira idade.

Apesar de todos esses direitos dos idosos serem garantidos por lei, a sociedade ainda precisa evoluir muito e aprender a respeitar esse grupo. Por isso, o ideal é estar sempre em locais em que se é bem acolhido e fazer com que esses direitos não fiquem apenas no papel.

O SBA Residencial acredita que a terceira idade deve ser respeitada não apenas por conta da lei, mas sim por ter o seu valor. Conheça um pouco mais de tudo o que este condomínio especial proporciona para a terceira idade.

 

Se interessou? Baixe também o e-book “Envelhecimento saudável”

Adaptar-se à terceira idade garante mais qualidade de vida

Durante muito tempo existiram pensamentos preestabelecidos sobre como as pessoas mais velhas deveriam viver – em casa ou cuidando dos netos – atualmente, nota-se uma mudança considerável nesta postura e uma busca por qualidade de vida.

Ter saúde é o maior desejo de todas as pessoas e na terceira idade isso é ainda mais importante. No entanto, isso não é e nem deve ser tudo. Relações sociais, viagens, lazer, descobertas e até mesmo poder realizar as atividades cotidianas normais fazem parte da adaptação de uma nova geração vivendo a terceira idade.

 

Adaptar-se ao envelhecimento é fundamental, e para isso, é preciso estar atento a alguns aspectos comportamentais.

 

Vença o medo

 

Durante a juventude, as pessoas são encorajadas a sair de casa, experimentar e explorar o mundo. A medida que os anos vão passando, essa postura vai mudando até se reverter. Na terceira idade, muitas pessoas costumam ser desencorajadas a continuar vivendo de maneira ativa, o que desperta a insegurança e o medo.

 

Envelhecer exige adaptações e alguns cuidados que antes não eram precisos. Contudo, isso não significa ficar em casa, com medo de sair, passear ou viajar. Pelo contrário, para se adaptar é preciso enfrentar o medo e descobrir novas maneiras de ser feliz.

 

Adapte-se às mudanças

 

Durante a vida toda, as pessoas precisam se adaptar e na terceira idade não é diferente. Uma dor na lombar, o joelho um pouco mais sensível, a diminuição na força… Aos poucos o corpo começa a dar sinal do passar do tempo. No entanto, ao invés de parar e se entregar a essas mudanças, adapte-se.

 

O físico pode já não responder tão rápido, mas mantê-lo ativo é um dos segredos neste processo. Faça atividades físicas que garantam o fortalecimento, a elasticidade, assim como a concentração e a memória. Respeite os limites do seu corpo, mas procure vencer as suas dificuldades de maneira progressiva.

 

Expresse os seus sentimentos

 

Outro grande equívoco em relação aos idosos é o fato de muitas pessoas acharem que com o avançar da idade já não há porque expressar os sentimentos. Para manter a qualidade de vida é preciso esquecer já essa ideia. Manifestar as emoções é importante em qualquer idade da vida. Falar aquilo que lhe faz bem, o que faz mal, o que lhe deixa feliz, animado e entusiasmado é parte natural e faz com que as pessoas se sintam vivas e ativas na sociedade.

 

Faça planos

“Já estou muito velho para sonhar”. É provável que já tenha ouvido essa frase de alguma pessoa mais velha. Se adaptar a um novo ritmo de vida, as novas demandas do corpo e da mente, não significa parar de planejar e realizar novos sonhos.

Hoje em dia, existem muitos grupos dedicados a promover atividades e criar maneiras de melhorar a qualidade de vida a população. Escolas de dança, cursos de idiomas, universidades exclusivas e grupo de viagens são algumas das opções que permitem que a terceira idade continue sonhando e vivendo a vida de forma plena. Além disso, o contato social faz toda a diferença neste processo de adaptação que garante mais qualidade de vida na terceira idade.

 

Mantenha as atividades cotidianas

 

Por uma questão cultural, ainda é muito comum as pessoas se assustarem quando ouvem de alguém de mais idade que ele vive sozinho. Porém, o avanço da idade não significa o fim da independência. É importante que as pessoas continuem levando a vida normalmente, realizando tarefas cotidianas sozinhas.

 

Uma das formas de garantir a qualidade de vida da população na terceira idade é fazendo com que as pessoas continuem se sentindo integradas na sociedade. Com as atitudes listadas, torna-se muito mais fácil adaptar-se a nova realidade, sem abrir mão dos prazeres e das coisas boas da vida.

 

O SBA Residencial respeita a autonomia e estilo de vida de cada morador. Começamos na personalização da residência escolhida, pois o novo morador pode trazer sua mobília. Além disso, ele é incentivado a manter suas atividades corriqueiras, que realizava fora do condomínio, e participar de eventos especiais, festas e passeios.

 

Confira outros conteúdos exclusivos do blog do SBA Residencial e descubra diferentes maneiras de viver a terceira idade com total qualidade de vida e saúde.

 

Se interessou? baixe o e-book Envelhecimento Saudável e saiba mais!

Como organizar melhor a rotina de medicamentos na terceira idade

Mesmo que os membros da terceira idade de sua família façam uso de poucos remédios para o tratamento e o controle de doenças, ter uma rotina de medicamentos bem estabelecida evita sérios problemas que a alta dosagem ou o esquecimento podem acarretar na saúde da terceira idade.

No artigo de hoje daremos dicas preciosas sobre esse tema para que haja uma melhor organização nessa área. Acompanhe.

Faça uso do remédio conforme a prescrição médica

 

É muito importante que a pessoa siga corretamente as instruções médicas na hora de utilizar os medicamentos. Não se deve pular e nem acumular doses e, muito menos, suspender o uso sem a orientação médica, mesmo se a pessoa apresente sinais de melhora.

A automedicação é outro fator que pode ser muito perigoso, principalmente em casos em que ele já faz uso de outros remédios. Por isso é importante passar sempre pela avaliação do médico para que ele oriente quanto a melhor combinação a ser feita. Se ele indicou um medicamento específico, é preciso verificar com ele se é possível adquirir um remédio similar ou genérico.

 

Mantenha a lista dos medicamentos em locais visíveis

 

Uma boa rotina de medicamentos deve conter a lista de todos os remédios em locais visíveis da casa. Deve-se anotar:

  • O nome exato do medicamento;
  • Se ele é genérico ou similar;
  • O motivo do uso de cada medicamento;
  • A dosagem;
  • Os horários corretos;
  • Orientações específicas (como “tomar antes do café da manhã”);
  • O telefone de contato do médico caso haja alguma emergência ou dúvida.

Também considere entregar uma cópia dessa lista a outros membros de confiança da família para que possam lhe ajudar em caso de emergência, de perda da lista ou de ausência.

Outra dica interessante é pensar na melhor forma de organizar os medicamentos. Algumas pessoas utilizam códigos como “manhã”, “tarde” e “noite”, por exemplo, para facilitar o acesso. Caso tenha dúvida, peça auxílio do médico para lhe ajudar nessa organização.

 

Fique ciente das interações medicamentosas e dos efeitos adversos

 

É muito importante conhecer cada efeito que os medicamentos podem produzir e o que a pessoa pode ou não consumir ou fazer durante o uso.

Por exemplo: ele pode consumir bebida alcoólica? Pode dirigir? Pode realizar atividades físicas de intensidade alta? Leia a bula atentamente e também pergunte todos os detalhes ao médico. Também esteja ciente dos efeitos colaterais que podem surgir e como agir nesses casos.

Outra dica importante é não utilizar a internet ou informações de terceiros para esclarecer esse tipo de dúvida. Por isso, não saia do consultório sem respostas.

 

Atualize as prescrições com o médico

 

Essa dica é muito importante para manter a saúde e a segurança da pessoa mais velha em dia. No tratamento e controle de determinadas doenças, vez ou outra será necessário aumentar ou diminuir a dose de alguns medicamentos para não comprometer a saúde da pessoa.

Por isso é muito importante que ele se consulte periodicamente para que o médico avalie e atualize o atual estado do paciente, certificando-se que todos os medicamentos estão na dosagem certa. Alguns deles, inclusive, podem deixar de ser tomados por um tempo, de acordo com o quadro do paciente.

 

Utilize o alarme do celular para lembrar os horários dos medicamentos

 

Para os adeptos da tecnologia, uma forma bem simples para não esquecer os horários certos de cada remédio é programando o alarme dos celulares. Neles é possível digitar o nome de cada um a ser tomado, facilitando ainda mais a organização da rotina dos medicamentos. Afinal, nem sempre eles são tomados em horários convencionais, sendo que em muitos casos será preciso despertar nas madrugadas para dar o medicamento.

Tendo cuidado e seguindo corretamente todas as dicas, rapidamente a rotina de medicamentos se tornará um hábito já incluso no dia a dia, contribuindo para a saúde, o bem-estar e a tranquilidade de toda a família.

 

O SBA Residencial há mais de 150 anos atua na área de moradia assistida para a terceira idade. Aqui você não se preocupa com a rotina da medicação, pois são todas ministradas pela equipe de enfermagem. Para mais informações, entre em contato e venha conhecer o que mais podemos oferecer.

Baixe também o e-book “Envelhecimento Saudável”

Novas Atividades são inseridas na Agenda Fixa do Morador

A equipe de Reabilitação do SBA Residencial coordenada pela Dra. Daniela Gomes, Geriatra e Coordenadora de Saúde, implantou novas atividades que estão proporcionando melhorias para o bem-estar físico e mental dos moradores.

 

Novas Atividades dos Moradores – Reabilitação SBA – Out/2017 / Google Photos